CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Mauro Veríssimo
"À minha Bella, a mulher mais admirável dos jardins dos meus sonhos. Minha vida, a ti pertence."
Textos


        Alienação Cultural, Chega!




Infelizmente estamos vivendo a era da alienação social, um fenômeno que a sociedade menos favorecidas vivem de uma forma crônica.

Trata-se de uma inversão de valores mostrados pelos meios de comunicação e adotado pelas massas rapidamente, meios que são totalmente opostos aos caminhos da vida social a que deveríamos conviver em sociedade, é uma total alienação do que conhecemos como bom e correto. Violência de alta qualidade, com o sangue pulsando no asfalto, programas fúteis que levam idiotices ao ar, como se fosse algo valioso, humor que mais parece com a tenda dos horrores e as mais típicas aberrações que caracterizam o que chamamos hoje de canais abertos. Tratam as pessoas como se o povo brasileiro fosse gado, um ser totalmente acéfalo, sem discernimento do que é realmente correto.

Onde estão os programas similares aos de Jacques Cousteau e Carl Sagan!? O primeiro mostrava a oceanografia e toda a biodiversidade contida nela, o segundo guiava a todos pela cosmologia e astronomia, sendo o pioneiro a tratar do universo e seus sistemas em programas de televisão. Como eram lindos esses programas, mas desapareceram, onde estão os seus equivalentes modernos?

Nossa sociedade beira a uma orgia caótica que, se não for feito algo para combater, não nos deixará outra opção que, uma revolução radical dos valores sociais, o problema é que, nunca saberemos, num movimento radical, quais serão às suas vertentes.

Como disse muitas vezes, estamos no período do, "Legislativo acéfalo, judiciário canibal e executivo neandertálico, mas que sabem ganhar o 13º, 14º, 15º, 16º e em alguns lugares, até o 17º salário”. Perguntar não ofende, que calendário é esse que um ano tem 17 meses? Isso sem contar o auxilio paletó, auxílio gravata, auxílio moradia e por aí em diante.

Podemos começar a mudar este cenário, começando a não votar em palhaços, pagodeiros, jogadores de futebol e todo aquele que entra nesse jogo político apenas para tirar as suas próprias vantagens.

Voto do protesto? Votar neles é como dar um tiro no próprio pé, só que acerta o pé dos demais cidadãos ou, os que acham que são. Não vamos fazer valer o bárbaro voto do protesto, não vá, fique em casa, abstenha-se. Assim, mesmo na sua total inutilidade como cidadão, pelo menos não contaminará o congresso e o povo brasileiro com bestas bizarras que não sabem sequer dizer o próprio nome, quanto mais à letra da lei que rege o país.

Paulo Freire teve um minuto luminar ao dizer essas célebres palavras: "O povo tem o político que ele merece”. Infelizmente é a pura verdade.

Por isso, vamos ter um pouco de consciência e vamos recriar um padrão social descente, senão para nós, pelo menos para os nossos descendentes, para que programas educativos voltem às telas das tv's abertas, que sociologia, filosofia, ciência política voltem às salas do ensino médio e que Organização Social e Política do Brasil e Moral e Civismo voltem às grades curriculares do ensino fundamental. Que nossas crianças voltem a cantar o hino nacional, o hino da bandeira, o hino da república antes de entrar em sala de aula, que eles venham a aprender a nossa constituição criada em 1988 depois de muita luta e muito sangue derramado, que venham a desfrutar da verdadeira cidadania com todo o vigor que é preciso para formar grandes cidadãos.

E que não venhamos a usar o que ganhamos em 1988 apenas no que se concerne ao malfadado art. 5º em um dos seus incisos, da Constituição da Repúbica Federativa do Brasil - que diz que ninguém é forçado a constituir prova contra si mesmo. Que atualmente é usado nas blitz da lei seca e em exames de DNA para livrar o elemento do flagrante e da culpa. Nossa sociedade é linda demais para viver ao som desses atos libidinosos e de programas fétidos como os que são relatados pelos que conseguem enxergar esses e tantos outros engodos que passam pelos canais abertos.

Vamos amigos, ainda há tempo para fugirmos da alienação social, o grande mal da nossa sociedade moderna, antes que venhamos definitivamente a viver num clima de total alienação social, o que se assemelha a viver no total caos social. Somos muito maior que isso, por isso, o passo maior é o que nós mesmos daremos em prol da erradicação desse mal, isso é simples, desligue  a sua televisão, esta não é a solução, mas já é o começo.
 
Mauro Veríssimo
Enviado por Mauro Veríssimo em 26/04/2012
Alterado em 12/10/2015

Música: Pub - Jung, Jae Hwan

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários